Soldiet

Promoção

SISMUN SPRAY

DESCRIÇÃO:
A garganta está particularmente exposta ao contacto com microrganismos presentes nos alimentos ou suspensos no ar. Por isso, dispõe de diversos mecanismos de defesa que, em condições normais, evitam que os microrganismos proliferem na própria mucosa faríngea ou penetrem em segmentos inferiores das vias respiratórias. A primeira barreira defensiva corresponde as secreções produzidas por inúmeras glândulas situadas ao longo de toda a mucosa das vias respiratórias, que é praticamente idêntica desde o nariz até aos brônquios. Estas secreções formam uma película sobre a superfície da mucosa com substâncias, entre as quais determinadas enzimas e produtos antibacterianos , capazes de destruir ou inactivar a maioria dos microrganismos. Um outro importante mecanismo defensivo corresponde a presença de inúmeros folículos linfóides, que são acumulações de tecido imunitário situadas estrategicamente ao longo de toda a extensão da garganta. Estas formações, entre as quais se destacam as amígdalas palatinas, dispõem na sua superfície de vilosidades microscopias capazes de capturar os microrganismos, para depois os desactivar e destruir.Quando por alguma razão estes mecanismos defensivos falham ou são insuficientes, os microrganismos costumam desenvolver-se, proliferando na garganta e provocando uma infecção. Para travar este processo, produz-se uma resposta inflamatória, de características semelhantes, independentemente do factor agressor, com uma típica tumefacção da mucosa faríngea que aumenta a irritação da zona, facilitando a chegada de elementos imunitários que consigam combater eficazmente a infecção. A afecção da garganta é provocada, na maioria dos casos, por uma infecção e, por isso, está dependente da chegada de microrganismos à mucosa faríngea. Normalmente, a doença apenas se produz quando existe uma falha nos mecanismos defensivos, os quais impedem, em condições normais, a proliferação de micróbios na garganta. A causa mais comum para uma falha nos mecanismos defensivos é a irritação da garganta provocada pelo consumo de tabaco.  Por outro lado, o frio, a secura ambiental e as alterações bruscas da temperatura ambiental dificultam a actividade das glândulas da mucosa faríngea que elaboram secreções protectoras, podendo alterar a composição das próprias secreções, o que favorece o desenvolvimento de processos infecciosos. Noutros casos, a afecção da garganta corresponde a uma complicação provocada pela chegada maciça de microrganismos provenientes de tecidos adjacentes, como sucede frequentemente em casos de infecção da mucosa nasal, da cavidade bucal e da laringe. Por fim, existe diversas doenças infecciosas que podem afectar o conjunto do organismo, como o sarampo e outras doenças eruptivas da infância como (rubéola, escarlatina ou a tuberculose), que também costuma incluir entre as suas manifestações o desenvolvimento de uma inflamação da garganta.

O Spray Anti-séptico Bucal, devido à sua composição em agentes com propriedades anti-sépticas e anti-inflamatórias.

INDICAÇÕES DE BOM USO:
Dores de Garganta
Tosse (incluindo a seca)
Inflamações orofaríngeas
Infecções Respiratórias
Catarro
Descongestionante das vias respiratórias
Constipações
Gripes
Sistema imunitário

CONTRA INDICAÇÕES e PRECAUÇÕES:
Devido ás suas propriedades imunoestimulantes do produto, deverá realizar-se um período de descanso de 2 a 3 semanas após a toma continuada de 6 a 8 semanas, não deverá ser utilizado por indivíduos com patologias auto-imunes (como por exemplo: HIV, Lúpus Eritematoso, Esclerose Múltipla) ou indivíduos a tomar medicamentos imunossupressores (como por exemplo: a ciclosporina). Contém derivado apícola. Esta advertência deve-se à presença de Própolis e ao facto de pessoas alérgicas a derivados apícolas, como veneno de abelha ou mel poderem ser alérgicas também ao Própolis. Devido à presença de Própolis, pessoas com asma devem aconselhar-se com o seu médico ou farmacêutico antes de iniciarem a toma deste suplemento alimentar.

INGREDIENTES:
Cinnamomum verum, Caneleira (Casca) 2%; Thymus vulgaris, Tomilho (Planta) 2%; Mentha piperita, Hortelã Pimenta (Folhas) 1%; Extracto concentrado de Propólis (teor mínimo de 10% de Polifenóis) 1%; Equinácea purpurea, Equinácea (Raiz) 1%; Conservante: Sorbato de Potássio e Benzoato de Sódio; Excipiente: Água purificada e Aroma; Gelificante: Glicerina; Edulcurante: Sorbitol.

MODO DE USAR:
Vaporizar a garganta 2 vezes de 4 em 4 horas. Em casos mais graves, vaporizar de 2 em 2 horas.